Joanesburgo

 

Joanesburgo ou Johannesburgo é a maior cidade da África do Sul, principal núcleo urbano, industrial, comercial e cultural do país.

Joanesburgo, ou Johannesburg (em inglês), é o nome oficial da maior cidade sul-africana, mas é só desembarcar por lá para perceber que esse nome é muito formal para quem vive no país. Joburg, ou apenas Jozi, é a forma carinhosa como a cidade é conhecida pelos seus admiradores. Urbana, movimentada, moderna e intensa – a metrópole chama a atenção pelo rápido crescimento e pela simpatia de seu povo.

Com um fuso horario de +4, fizemos ali uma escala de 13 horas, impedidos de sair do aeroporto, devido as fortes chuvas durante todo o dia.

Tivemos que bisbilhotar na net as maravilhas que deixamos de ver ao vivo(sniff), passear no Gautrain, conhecer o Sandton City o maior shoping do continente africano, o Mandela Square, ou ate mesmo fazer um mini safari no Lion Park

A Mandela House, onde viveu Nelson Mandela, uma das grades personalidades sul-africanas e que lutou contra o apartheid, quem o admira não deve deixar de conhecer,  Negro, formado em direito, ex-presidiário e ex-presidente da África do Sul, ele viveu por muitos anos em Soweto e conhecer a casa onde morou é uma forma de resgatar um pedaço de sua história e seu legado. E o Museu Hector Pieterson, que leva o nome de um menino morto em conflito com a polícia em Soweto.

Soweto (abreviação de South Western Townships) é hoje em dia uma cidade que fica nos arredores de Joanesburgo. Muitos trabalhores emigraram para Joanesburgo e foram morar nos subúrbios da cidade para explorar as minas de ouro, e foi assim que se deu origem de Soweto. Anos depois, com a instalação do regime de segregação racial na África do Sul, Soweto passou a ser uma “área para negros”, já que muitas famílias negras foram obrigadas a deixar o lugar onde viviam para morar em Soweto.

Soweto é considerada uma favela, além de ser a maior comunidade negra da África do Sul. São mais de 4 milhões de habitantes e a região tem hospitais, escolas, shoppings, restaurantes e muitas moradias. O local tem casas com diferentes níveis de conforto e parece ser tratado com mais atenção do que as favelas brasileiras.

O Museu do Apartheid um dos pontos turísticos que não devem ficar de fora de nenhum roteiro, por menor que seja o tempo em Joanesburgo. O nome dá uma prévia do que encontrar no lugar, mas só ao visitá-lo você poderá sentir na pele como foi o apartheid e entender o impacto que causou na sociedade.

Nada podia ser feito a nao ser ficar batendo perna e visitando lojas, conhecendo pessoas ou mesmo petiscando algo até a hora do embarque para Perth e seguir para o nosso destino

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *